Escolha uma Página

História de 1956 – 2017

Assinatura do convênio entre a Fundação Sinhá Junqueira e a Faculdade de Medicina, para instalação do Hospital das Clínicas. Data: 09/03/1953.

A história do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, tem início com a criação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, conforme Lei Estadual 1467, de 26 de dezembro de 1951. Referida Lei, estabelece em seu artigo 17, que cabe à Reitoria da Universidade de São Paulo, providenciar, de imediato, o plano e a construção do edifício do Hospital das Clínicas, dentre outros prédios destinados à infraestrutura do ensino médico, utilizando recursos consignados no orçamento da Universidade.

 Oficialmente instalada em 17 de maio de 1952, as atividades clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto eram realizadas, em caráter provisório, nos pavilhões da Santa Casa de Misericórdia. Uma solução temporária foi encontrada, graças às articulações do Presidente do Centro Médico de Ribeirão Preto, Dr. Paulo Gomes Romeo (que viria a ser o primeiro Superintendente do Hospital) e do Diretor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, Prof. Dr. Zeferino Vaz, junto ao Presidente da Fundação Maternidade Sinhá Junqueira, Dr. Waldemar Barnsley Pessoa, que estava construindo um prédio na rua Bernardino de Campos 1000, para instalação da Maternidade Sinhá Junqueira. Por meio de Convênio firmado em 09 de abril de 1953, pelo Prof. Dr. Ernesto Leme, Magnífico Reitor da Universidade de São Paulo e a Fundação Sinhá Junqueira, com  autorização do Governo do Estado, tendo como Governador, à época, Dr. Lucas Nogueira Garcez, ficou acordado que o Estado concluiria as obras da Maternidade, que se encontravam em fase de alvenaria inacabada para utilização do imóvel, em comodato, por 20 anos.

Prédio da Fundação Sinhá Junqueira, em obras, após assinatura do convênio com a Faculdade de Medicina, para criação do Hospital das Clínicas (atual Unidade de Emergência). Data: 23/12/1955.

Por meio da Lei Estadual 3274 de 23 de dezembro de 1955, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo foi oficialmente instituído como entidade autárquica, com personalidade jurídica e patrimônio próprio, ficando instalado, até ter sua sede própria, no edifício da Maternidade Sinhá Junqueira.

Com o acordo das partes, as obras foram con­cluída-se em 15/6/1956, foi iniciado o funcionamento dos 150 leitos instalados para utilização pela Faculdade de Medicina. O imóvel foi, portanto, o primeiro endereço do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCFMRP-USP). Em 17/3/62 foi inaugurado, também, com recursos do Estado, o “prédio de ampliação”, com acesso pela rua Quinti­no Bocaiúva, para funcionamento de ambulatórios, enfermarias, laboratórios e bloco cirúrgico, passando o Hospital a contar com mais 150 leitos.

Com a inserção do Hospital cada vez mais presente no atendimento médico da população, em pouco tempo o “prédio de ampliação” deixou de suportar as crescentes atividades ambulatoriais, fazendo-­se indispensável, também, a instalação de outros serviços de suporte, tais como lavanderia, ofici­nas, transporte, arquivo médico, administração, nutrição e outros, oportunidade em que foi adquirido o quadrilátero adjacente, conhecido como “Semi­nário”. Por mais de 20 anos, o prédio da Maternidade Sinhá Junqueira, onde estava instalado o Hospital das Clínicas, integrou o sistema de ensino do curso de Medicina, que reunia as clínicas obstétrica, gineco­lógica, médica e cirúrgica.

REGISTROS HISTÓRICOS DO PERÍODO

Imagem da 1ª cirurgia realizada no HC. A equipe médica: Professores Doutores Ruy E. Ferreira-Santos e Célio Fontão Carril e o Doutor Cláudio Escobar

– Ambulatório: Início do funcionamento em 19/5/56.
– Primeira paciente internada em 30/6/56, Nome: Elizabeth Maionchi.
– Primeira Cirurgia: Gastrectomia em 11/8/56, Paciente: Sebastião Augusto de Souza.
– Primeiro nascimento: 7/8/56 às 14h15, recém nascido: Edson Francisco Tavares.

Já em 1952, com a instalação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto na Escola Prática da Agricultura, em Monte Alegre, previa-se que na mesma área deveria ser construída, no futuro, a sede própria do Hospital das Clínicas. Assim, em 28 de novembro de 1962, ainda na administração do Dr. Paulo Gomes Romeo e Prof. Dr. Zeferino Vaz, foi assinado o contrato entre o Hospital e a empresa FOMISA para a elaboração de um pro­jeto que daria sede própria ao HC no Campus da USP, que atendesse não só à demanda de pacientes, mas que, sobretudo, propiciasse ao corpo docente e discente da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e da Escola de Enfer­magem, condições confortáveis para o exercício das atividades de ensino, pesquisa e assistência.

A obra foi iniciada em 09/10/63 e paralisada em 1969. Com o término do mandato do Dr. Paulo Gomes Romeo na Superintendência do Hospital, em 09 de março de 1969, assume inicialmente, o Prof. Dr. Jorge Armbrust de Lima Figueiredo, que ficou como responsável pelo expediente da Diretoria, no período de 10 de março de 1969 a 19 de fevereiro de 1970, assumindo após, na mesma função, para o período de 20 de fevereiro de 1970 a 03/05/1971, o Prof. Dr. Jacob Renato Woiski e também, o Prof. Dr. Alberto Raul Martinez, que ficou como responsável pela Diretoria do Hospital, no período de 04 de maio de 1971 a 29 de dezembro de 1971.

Em 31 de dezembro de 1971 assume a Superintendência do Hospital, o Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli, que cumpriu o seu mandato até 16 de maio de 1983. O Prof. Martinelli, como comumente conhecido, reinicia gestões junto ao Governo do Estado para o término da obra da sede própria do Hospital das Clínicas, que se encontrava na estrutura de concreto. Enfim, em 04 de outubro de 1974 são reiniciados os trabalhos de conclusão da obra.

Manchete do Jornal Diário da Manhã de Ribeirão Preto

Já em 1968, foi o primeiro Hospital da América Latina a realizar um transplante de rim com doador cadáver, pela equipe médica coordenada pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Pereira Martins.

Neste intervalo termina o convênio com a Fundação Sinhá Junqueira para utilização da estrutura pelo Hospital das Clínicas e a Superintendência, preocupada em instalar, em futuro, uma Unidade de Emergência e de Queimados, envida esforço e consegue obter, por parte do Governo do Estado, em 1976, a desapropriação do Edifício da Fundação Maternidade Sinhá Junqueira, cedendo-o, definitivamente, ao Hospital.

Em 12 de dezembro de 1977 as atividades ambulatoriais passam a ser desenvolvidas na nova sede, sendo realizadas, em média, 700/dia e em 16 de janeiro de 1978, as atividades de internação, tendo sido disponibilizados, à época, 525 leitos.

O governador Paulo Egydio Martins participou da inauguração do HC Campus ao lado do prefeito de Ribeirão Preto Antonio Duarte Nogueira, do superintendente Carlos Eduardo Martinelli e outras autoridades

Finalmente, em 22 de fevereiro de 1979, na Administração do Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli, o Hospital das Clínicas inaugurou oficialmente sua sede no Campus Universitário Monte Alegre, com a presença do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado de São Paulo, Dr. Paulo Egydio Martins.

Em 5/3/1979, o Governador do Estado assinou o Decreto 13.297/79, aprovando o Regulamento do Hospital das Clínicas, dando a ele nova estrutura organizacional, de acordo com o seu porte e importância na área da Saúde. Em 14/3/79, por meio do Decreto 13.421/79, foi aprovado o novo Quadro de Pessoal, quando o Hospital passou de um quadro de 2.821 funções para 5.278 funções.

OUTROS REGISTROS HISTORICOS DO PERIÓDO

–   Assinatura do Contrato com a FOMISA para elaboração do Projeto da sede própria: 28/11/1962.
–   Início da Terraplenagem: 9/10/1963.
–   Início das Fundações: 8/10/1964.
–   Paralisação das Obras: 1969.
–   Reinício da Obra: 4/10/1974.
–   Início do Funcionamento do Ambulatório no HC Campus: 12/12/1977.
–  1º. Nascimento ocorrido no Ambulatório: 12/12/1977 (RN de Helena Aparecida Domingues).
–   Início do Funcionamento da Administração: 16/1/1978.
–   Início das Atividades do Banco de Leite: 1978.
–   Início das Atividades de Internação: Neuro-Derma – 31/1/1978.
–   1ª. Cirurgia realizada: Hernioplastia Hiatal.

Equipe Médica: Prof. Dr. Ruy E. Ferreira-Santos, Dr. Eulógio Corrales Vargas, Dr. Jorge Eduardo Hurtado, Dr. Jorge Ernesto Salum, Prof. Dr. Paulo Mello Soares e Profa. Dra. Anita Leocádia de Mattos Ferraz.

UNIDADE DE EMERGÊNCIA: Uma Realidade

Entrada principal da Unidade de Emergência

Após a transferência das instalações para o HC Campus, iniciou-se a reforma do antigo prédio da Maternidade Sinhá Junqueira, para abrigar a Unidade de Emergência e a Unidade de Queimados. O programa de reformas e ampliações da Unidade de Emergência ganhou importância com o “Centro de Queimados Prof. Dr. Ruy Escorei Ferreira Santos”, inaugurado em 1982, com capacidade para oito leitos e com equipe multidisciplinar composta por profissionais especializados.

Com o término do mandato do Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli, em 16/5/83, assume a Superintendência, em 17/5/83, a Profa. Dra. Marisa Mazzoncini de Azevedo Marques, cumprindo seu mandato até 25/5/87.

Instalado em 1984, também na Unidade de Emergência, o Centro de Controle de Intoxicações foi outra conquista importante para Ribeirão Preto e Região. Atende, em plantão permanente, casos como intoxicações alimentares, medicamentosas e pica­das de animais peçonhentos. Em 1985, o Hospital passou a contar com um projeto orçamentário específico, para a reforma da U.E., solicitado desde 1983. Em de março de 1987, a Unidade de Emergência devidamente reformada é inaugurada.

OUTROS REGISTROS HISTORICOS DO PERÍODO

– Implantação do sistema de vale-refeição aos servidores pelo Estado: 27/11/84.
– Concessão de Auxílio Moradia para os Médicos Residentes, constituindo-se em um adicional de 20% sobre o valor da Bolsa: Dezembro de 1985.
– Regulamento do Hospital, baixado pelo Decreto 13.297/79 alterado por Decreto governamental de 5/6/86, estabelecendo a inclusão de um representante dos servidores e um suplente no Conselho Deliberativo.
– Constituição da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Campus e da U.E., atendendo Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho.

Entrada principal do Hemocentro de Ribeirão Preto, no Campus da USP

A década de 1980 não havia acabado, quando o HC deu muitos passos à frente. Em 1988, já na gestão do Prof. Dr. Antonio Carlos Pereira Martins, que iniciou suas atividades como Superintendente em 27/5/87, foi inaugurado o novo prédio do Centro de Convivência Infantil – CCI, onde crianças com até três anos, filhos de funcionárias do Hospital, eram atendidas, as­sistidas e orientadas. O CCI que contava com duas unidades: Campus e Unidade de Emergência, teve suas atividades terceirizadas, a partir de maio de 2014, dentro do programa estabelecido pelo governo, passando o Hospital a contratar as escolas escolhidas pelas mães, para a permanência das crianças, até a idade de 06 anos e 11 meses, mediante o pagamento direto às escolas.

Em 1987 foi implantado o Hemocentro de Ribeirão Preto, para o desenvolvimento do Programa de Sangue e Hemoderivados, em integração ao Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados e do Plano Diretor para o Sangue e Hemoderivados do Estado de São Paulo – HEMOREDE, aumentando-se com isso a segurança das transfusões de sangue, graças à inovação tecnológica na realização de exames, numa época em que o Programa DST/AIDS estava em muita evidência, pelas características da nova doença. Em 1994, foi inaugurado um prédio moderno para as novas instalações do Hemocentro, que através do Decreto 39.509 de 11/11/94 teve sua estrutura regulamentada, dentro da Estrutura Organizacional do Hospital, com a criação do Centro Regional de Hemoterapia.

Em 1990, passou a contar com o suporte da Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto, instituição de direito privado, sem fins lucrativos, que passou a atuar, em parceria com o Centro Regional de Hemoterapia.

Integra uma rede composta por quatro núcleos de Hemoterapia (Araçatuba, Fernandópolis, Franca e Presidente Prudente); quatro unidades de Hemoterapia (Batatais, Bebedouro, Olímpia e Serrana), um Posto de Coleta em Ribeirão Preto, além de várias Agências Transfusionais.

Seus procedimentos operacionais estão certificados pela NBR ISO 9001: 2008 e acreditado pela AABB – American Association of Blood Bank.

Desenvolve ainda um constante programa de pesquisa nas áreas de Hemoterapia, Hematologia, Transplante de Medula Óssea, Transplante de Células Tronco, Produção de Proteínas Recombinantes, Biologia Molecular e Celular e Química de Proteínas.

Dispõe de laboratórios de Biologia Molecular e Celular, Criobiologia, Análise de Genética Molecular, Citometria de Fluxo, Bio-Informática, Química de Proteínas e HLA. Possui pesquisadores no estudo das propriedades das células e suas modificações, como sequenciamento de DNA; do genoma e análise proteômica, visando a criação de instrumentos de diagnóstico e tratamento no campo da terapia celular.

Desenvolve extenso e permanente programa educacional que inclui o treinamento e desenvolvimento de profissionais médicos, enfermeiros, biologistas, fisioterapeutas e técnicos de laboratório. Estas atividades são estendidas a especialistas e pesquisadores da área, dentre eles alunos de pós-graduação, residentes em hematologia e hemoterapia, alunos de graduação.

Destacam-se também os cursos e treinamentos oferecidos aos profissionais de ciência do ensino médio e fundamental da região de Ribeirão Preto. Oferece de forma sistemática e permanente cursos para a formação de especialistas em biologia molecular, em nível de mestrado e doutorado.

Com a implantação do Sistema Único de Saúde – SUS pelo Governo Federal, a partir da promulgação da Constituição Federal, em 1988, o Hospital assinou Convênio de adesão ao SUS, como referência terciária regional. Por ser um dos maiores hospitais universitários públicos do país, tornou-se capaz de responder à demanda de atendimento de alta complexidade de Ribeirão Preto e Região.

O Laboratório de Reprodução Assistida foi o primeiro e continua sendo o único serviço público na área. Foto de 1989.

Um fato de destaque que, desde então, tem feito a diferença na gestão do Hospital das Clínicas foi a instituição, também, em 1988, da Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas – FAEPA – instituição pri­vada, sem fins lucrativos, com autonomia admi­nistrativa e financeira, que mantém Convênio com o Hospital das Clínicas, desde 1994, mediante autorização do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado. A FAEPA vem viabilizando o bom funcionamento do Hospital das Clínicas, pois sua linha de atuação possibilita o investimento na instituição hospitalar, em recursos humanos e no patrocínio da elaboração de novos métodos e em áreas que desenvolvem tecnologia de ponta, possibilitando o aprimoramento funcional do Hospital.

Em 1989, a então Seção de Fisiologia e Farmacologia Obstétrica, atualmente Laboratório de Reprodução Humana foi adequadamente equipado para desenvolver o Programa de Fertilização Assistida, garantindo o pioneirismo na área. Foi o primeiro e continua sendo o único serviço de caráter público da cidade que ajuda a realizar o sonho de casais que querem ter filhos, mas têm dificuldades biológicas para serem pais. Foi o primeiro hospital pú­blico do Brasil a realizar a fertilização in vitro, à população carente. O bebê de proveta Walison Igor nasceu em 1993, com 2,5 kg e 47 cm.

OUTROS REGISTROS HISTORICOS DO PERÍODO

Recorte do jornal O Diário, de Ribeirão Preto

– Criação do São Paulo Interior Transplantes – SPIT: 1988.
– Implantação do Programa Mãe Participante: 1988.
– Inauguração do Banco de Olhos: 1989.
– Início do Funcionamento do Setor de Hemostasia do Laboratório de Hematologia: 1989.
– Início do Funcionamento dos Laboratórios de: Biologia Molecular, Imunogenética, Neurologia Aplicada e Experimental, Oncologia Pediátrica, ambos em 1989 e do Laboratório de Virologia em 1990.
– Início do Atendimento à Gestante de Alto Risco: 1991.
– Realização do 1º. Transplante de Medula Óssea: 1992.
– Implantação do Núcleo de Vigilância Epidemiológica: 1992.
– Implantação do Ambulatório de Geriatria: 1992.

Profissionais do Banco de Olhos

– Implantação da Casa de Apoio à Criança com Câncer: 1992.
– Implantação da Central de Quimioterapia no Ambulatório: 1992.
– Aquisição e funcionamento do equipamento de Litotripsia: O HC foi o primeiro hospital público a contar com o aparelho e oferecer esse serviço ao paciente do SUS.
– Implantação do Programa de Qualidade Total: 1993.
– Implantação do Sistema Informatizado de Recepção, Circulação, Controle de Pessoas e Bens Materiais: 1993.
– Implantação do curso “Advanced Trauma Life Support” – ATLS: 1994.
– Conclusão do Projeto Ethernet, atualmente Rede USP, interligando o Hospital das Clínicas à Rede Informatizada da USP: 1994.

A partir de 10 de março de 1995, assume a Superintendência do Hospital das Clínicas, o Prof. Dr. Marcos Felipe Silva de Sá, cujo mandato perdurou até fevereiro de 2003.

Desde a construção do Hospital das Clínicas no Campus Universitário Monte Alegre, as áreas ocupadas não estavam devidamente regularizadas junto à USP. No início da gestão do Prof. Marcos Felipe, contando com a colaboração da Reitoria da USP, o Termo de Cessão do terreno ocupado pelo Hospital foi regularizado, bem como providenciada a regularização das duas unidades, no Campus e na Unidade de Emergência, junto ao INSS.

OBRAS E PROGRAMAS DE DESTAQUE NO PERÍODO.

Centro de Cirurgia de Epilepsia (CIREP) inaugurado em 1995

– CIREP: Inaugurado em 1995, após o término de uma reforma, com instalações de equipamentos sofisticados, o Centro de Cirurgia de Epilepsia – CIREP é um dos centros mais avançados nesta especialida­de. Com desenvolvimento de tecnologia pio­neira no tratamento da doença, em dezembro de 2001, o CIREP foi escolhido pelo Ministério da Saúde como um dos Centros de Regulação de Cirur­gias de Epilepsia para todo o território nacional.

– UETDI -Outro fato de destaque foi a inauguração do prédio da Unidade Especializada em Terapia de Doenças Infecciosas – UETDI, em 1996. Com isso, o HC ganha amplitude na terapia para pacientes portadores de HIV, constituindo-se referência do Ministério da Saúde para medida de carga viral, dentro do Programa DST/AIDS.

Acesso à Unidade Especial em Terapia de Doenças Infecciosas (UETDI)

Unidade de Transplantes de Medula Óssea: Em julho/95 foram inauguradas as instalações da Unidade, com capacidade para 10 leitos. A Unidade, que vinha funcionando em caráter precário e intermitente, conseguiu, a partir de então, restabelecer o fluxo contínuo de atividades que a consolidou como um centro de vanguarda no tratamento de doenças hematológicas ou imunológicas, potencialmente fatais.

– Mutirões de Saúde da Comunidade – O Hospital passou a implementar, a partir de 1995, o Programa “Mutirões de Saúde”, em parceria com as Prefeituras de Ribeirão e da demais cidades da Região, tendo como alvo, a comunidade carente que dependia de atendimento médico-hospitalar, especialmente voltado para pequenas cirurgias, cujas filas de espera chegavam a 2 anos. Os Mutirões, sempre realizados nos finais de semana, contaram com a colaboração do Corpo Docente da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP e de médicos estabelecidos na cidade, que realizaram os exames diagnósticos e as cirurgias. Foram realizados Mutirões de Prevenção de Câncer de Pele, de Próstata, Cirurgias de Catarata, Cirurgias de Estrabismo, Pediátricas, Colecistectomia por videolaparoscopia, safenectomia e adenoidectomia, dentre outras.

Vista da Unidade de Transplante de Medula Óssea

– Programa de Incentivo à Assiduidade: Objetivando a redução do absenteísmo elevado, motivado por licenças para tratamento de saúde e por faltas, o Hospital iniciou, em agosto de 1996, um programa de incentivo à assiduidade. Naquela época, os números indicavam que de cada seis servidores, um não estava presente ao trabalho, por razões diversas. Chamava a atenção o excessivo número de licenças para tratamento de saúde. O objetivo do Programa era premiar os funcionários assíduos. Assim, foram estabelecidos critérios para abono de faltas e os funcionários que não tiveram faltas, nos meses antecedentes, participavam, quadrimestralmente, dos sorteios de quantia em dinheiro, provenientes de receita do atendimento de pacientes, gerida pela FAEPA, além de receberem número extra de vales alimentação. O Programa foi muito bem sucedido, tendo o absenteísmo reduzido significativamente, no período em que perdurou esse programa, ou seja, até 2004.

Pacientes durante o mutirão de Câncer da Pele

Professora durante aula com crianças internadas no Hospital das Clínicas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

– Outro Programa de destaque, implantado no Hospital, a partir de 1997, foi o Sistema de Prescrição Médica Eletrônica e Dispensação de Medicamentos. O projeto, desenvolvido com assessoria dos Docentes da Faculdade de Economia e Administração de Ribeirão Preto – USP – FEA-RP e a equipe de Tecnologia da Informação do Hospital, representou um avanço considerável para as áreas médicas, de enfermagem, farmácia e administrativa, além de preservar a segurança dos pacientes. Este sistema, que vem sendo inovado periodicamente, constitui-se modelo para outras instituições de saúde.

– Início do Projeto Classe Hospitalar: Projeto reconhecido pelo Ministério da Educação, o Serviço Social, em parceria com o Departamento de Puericultura e Pediatria da FMRP e Secretaria de Estado da Educação, proporcionou às crianças internadas atividades escolares, com supervisão de pedagogos especializados em Educação Especial, o que permite que o aluno tenha continuidade do processo de aprendizagem, contribuindo para o retorno e reintegração das crianças à escola regular, por ocasião de sua alta médica.

Página do site para prescrição eletrônica implantada em 1997

– Centro de Educação e Aperfeiçoamento Profissional em Saúde – CEAPS: Objetivando investir na capacitação do profissional de saúde foi inaugurado, em 1988, o CEAPS, uma infraestrutura com salas de aula, anfiteatro, sala de reunião e área administrativa, totalmente informatizada, tendo como finalidade a implementação de programas de formação, treinamento, habilitação, aprimoramento e especialização do profissional de saúde, que passou a contar, em sua estrutura organizacional, com o Centro Interescolar, uma escola que oferece cursos profissionalizantes, na área da Saúde, para profissionais do Hospital e de Ribeirão Preto e Região.

– Na Unidade de Emergência foi implantado o Projeto REFORSUS, com recursos do Governo Federal, obtidos através de acordo entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID e o Banco Mundial, com contrapartida do Governo do Estado. Com o apoio dos vinte e cinco Secretários Municipais de Saúde da antiga DIR XVIII, atual DRS XIII, o Hospital conseguiu apoio para aprovação do Projeto REFORSUS para a realização de obras e aquisição de equipamentos para a Unidade de Emergência. As obras foram iniciadas em 22/4/1999 e inauguradas em 27/6/2002, com reformas importantes da área física, que ensejaram mudanças no processo gerencial da U.E., com informatização completa da Unidade, que permitiu a implantação do sistema de prescrição médica eletrônica, a integração com o HC Campus, acesso “online” aos resultados de exames, dentre outros.

Sala de aula do CEAPS

Anfiteatro do CEAPS com quase 200 lugares

Central Única de Regulação médica,
na Unidade de Emergência

A interdependência administrativa da U.E., em relação ao HC Campus foi minimizada, com a descentralização da estrutura administrativa, implantação da Ouvidoria, a aquisição e modernização dos equipamentos para garantir a atenção à alta complexidade. Tudo isso permitiu a organização do acesso para os usuários, através da Central Única de Regulação Médica para Urgências e Emergências, implantada a partir de 17/1/2000.

 

 

 

OUTROS FATOS DE DESTAQUE DO PERÍODO 1995/1999:

Espaço de oração

– Reativação do Banco de Olhos.
– Implantação do Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT.
– Criação da Comissão de Uso e Controle de Antimicrobianos – CUCA.
– Início do funcionamento do 1º. Equipamento de Ressonância Nuclear Magnética de 1,5 Tesla.
– Implantação da Organização de Procura de Órgãos (OPO).
– Implantação do Sistema de Referência e Contra-Referência para adequação do Hospital das Clínicas ao SUS.
– Início da Concessão de Cestas de Natal aos servidores, com recursos disponibilizados, por meio da FAEPA.
– Adequação da infraestrutura, incluindo a aquisição de equipamentos de Ultrassonografia para instalação do Centro de Ciência da Imagem e Física Médica.
– Instalação da Capela Ecumênica no HC Campus (atual Espaço de Oração).

Praça da Amizade

Banco de Leite Humano

 

 

 

 

 

 

 

 

– Criação do Centro Integrado de Estudos de Deformidades da Face – CIEDEF.
– Instituição do Comitê de Ética em Pesquisa.
– Ampliação da Rede USP a todas as áreas do HC Campus, projeto em parceria entre o Hospital, a FMRPUSP e a FAPESP.
– Implantação do Sistema de Controle de Acesso de Pessoal e Ponto Eletrônico aos servidores.
Inauguração da “Praça da Amizade”, no HC Campus, destinada ao descanso de servidores e lazer para os pacientes.

Grupo de funcionários participa de exercícios da Ginástica Laboral

– Instalação da Comissão Interna de Racionalização de Energia Elétrica – CIRE.
– Implantação da Ouvidoria, no HC Campus, em abril de 1999, atendendo política de melhoria da qualidade do serviço público, criada pelo Governo do Estado.

– Banco de Leite Humano designado com Centro de Referência do Estado de São Paulo, pela Secretaria de Estado da Saúde, passando a representar todos os Bancos de Leite do Interior.
– Implantação do Programa “Ginástica Laboral”, coordenado pelo Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT, em áreas de maior incidência de licenças para tratamento de saúde, por doenças relacionadas às atividades laborais.

Centro Integrado de Serviços de Apoio – ClSA

Finalmente, para encerrar o século XX em grande estilo, em 2000, exatamente, em 17/01/2000, ocorreu a mudança do sistema de agendamento de consultas eletivas, delegando aos Departamentos Regionais de Saúde de Ribeirão Preto, Franca, Araraquara, Barretos e à época, incluía, também São João da Boa Vista, área de abrangência do Hospital, o agendamento de novos pacientes, diretamente, mediante pactuação das vagas, com as Diretorias dos Departamentos Regionais. Isso sig­nifica que o primeiro atendimento do paciente passa a ser feito exclusivamente pela Unidade Básica de Saúde da cidade onde reside, que encaminha os casos mais complexos ao HC, responsável pelo atendi­mento terciário. Foi assim criada a Central de Agendamento de Consultas Eletivas nas Dire­torias Regionais de Saúde (DIR’s) de Ribeirão Preto, Araraquara, Barretos, Franca e São João da Boa Vista. Todo paciente comparece ao HC Campus com dia e hora da consulta marcada. Assim, o Hospital passou a ter 100% dos pacientes referenciados. Com isso, o grau de complexidade de pacientes aumentou, refletindo o envolvimento do Hospital, como referência terciária no SUS. O mesmo ocorreu com a reorganização do fluxo de urgências e emergências, mediante a implantação da Central Única de Regulação Médica de Urgência e Emergência na Unidade de Emergência, na mesma data.

Leia mais

Centro Integrado de Serviços de Apoio – ClSA

No mesmo ano, foi implantado o GEAVIDAS, atualmente, SEAVIDAS, que se constitui em um Grupo de trabalho que presta atenção às vítimas de violência doméstica e agressão sexual e tem por objetivo o planejamento de ações para a viabilização de uma assistência efetiva às vítimas, no município de Ribeirão Preto.

O sucesso do Hospital, iniciado em meados do século passado, continua no começo do século XXI, desta vez devido às pesquisas desenvolvidas. O HC ganhou notoriedade com as intervenções inéditas com células­ tronco no Brasil realizadas pela equipe de Imunologia do Departamento de Clínica Médica. Em 2001, o alvo era casos de doenças reumáticas autoimunes. A equipe retirou e reimplantou as células-tronco do paciente, depois de tratamento. Em 2002 foi feito o primeiro transplante para o trata­mento de Lúpus e Esclerose Múltipla. Como se não bastasse, em 2001 ocorreu, também, o primeiro transplante de fígado na região de Ribeirão Preto. Desde então, o Hospital das Clínicas passou a ser o ter­ceiro Centro Transplantador de Fígado do interior paulista. Coordenado pelo Depar­tamento de Cirurgia, o trabalho mobilizou uma equipe de 40 profissionais, entre mé­dicos, enfermeiras e auxiliares, treinados nos melhores centros do Brasil e exterior para este tipo de cirurgia.

Certificado de Qualidade

O Centro Regional de Hemoterapia, em agosto de 2001, ganhou novas instalações, consolidando ainda mais sua posição com um dos melhores centros hemoterápicos do interior do país. Foram inaugurados o Banco de Sangue de Cordão Umbilical, Laboratório de Criobiologia e os Anexos de Ensino, que marcam o início das atividades do Centro de Terapia Celular, um dos integrantes dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão – CEPID, da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP.

As áreas de apoio também receberam benefícios. Ainda em 2001 foi inaugurado o Centro Integrado de Serviços de Apoio – ClSA. A construção deste prédio pro­porcionou melhor adequação às áreas administrativas e de apoio, além de libe­rar espaço para unidades de atendimento ao paciente no prédio principal.

Em dezembro de 2002, a partir de uma série de ações, com o objetivo de mudanças de rotinas e humanização do atendimento, o Hospital foi reconhecido como “Hospital Amigo da Criança”, iniciativa idealizada e implementada, conjuntamente, com o Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, Organização Mundial de Saúde – OMS e Ministério da Saúde.

Em solenidade realizada em Brasília, no dia 24 de maio de 2002, o Hospital foi contemplado com o Prêmio Qualidade Hospitalar 2001 – Categoria Nacional, pelo Ministério da Saúde, A premiação foi resultado de um avaliação anual feita pelo MS com os usuários de toda a rede hospitalar conveniada ao SUS, que contava, á época, com 6.493 hospitais de todos o país, entre públicos, filantrópicos e privados, o que correspondia a 487.058 leitos e 12,5 milhões de internações ao ano. A pesquisa sobre a satisfação dos usuários foi realizada através de cartas enviadas às pessoas, que tiveram internadas em toda a rede, em 2000. O HCFMRP-USP ficou entre os 10 primeiros colocados.

Outros Fatos de Destaque do Período 2000/2002:

Local também conhecido como mini rodiviária do HC

Área de apoio ao paciente

 

 

 

 

 

 

 

 

– Instalação do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais – CRIE.
– Ativação da Enfermaria de Curta Permanência em Psiquiatria.
– Criação do Serviço de Cirurgia Bariátrica.
– Criação do Centro de Preparo de Nutrição Parenteral na Divisão de Assistência Farmacêutica.
Inauguração de Área de descanso para os pacientes, ao lado do Ambulatório, com quiosques, sanitários, fraldário, lanchonetes e ampliação do terminal de ônibus municipais.
Estabelecimento de parcerias com instituições de ensino da área da Saúde e Convênio com Hospitais para cursos de formação e aprimoramento dos profissionais de saúde e campo de treinamento e ensino para os médicos residentes, em atividades médicas de média complexidade.
Fusão das Maternidades do HC Campus e Unidade de Emergência, com a desativação da Maternidade da U.E. Assinatura de convênio com Fundação Sinhá Junqueira e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, para que o Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP, passasse a supervisionar os leitos da MATER.

MATER instalada no bairro Quintino Facci II

Centro de Reabilitação

 

 

 

 

 

 

 

 

–  Implantação do Centro Integrado da Qualidade.
–  Criação do Centro de Voluntariado .
–  Início do Funcionamento da Biblioteca Itinerante para os Pacientes.
–  Início do Funcionamento da INTRANET.
–  Laboratório Central de Patologia Clínica conquista a certificação ISSO 9002/94.
– Inauguração do Centro de Convenções Ribeirão Preto, administrado pela FAEPA, ao lado da Unidade de Emergência, no quadrilátero do antigo Seminário.
– O Serviço de Otorrinolaringologia passa a ser um Centro de Referência Nacional pelo SUS para a correção de deficiência auditiva, com colocação de implante coclear.
– Criação do Serviço de Oncologia, com a implantação de um programa de Residência Médica em Oncologia, reconhecido pela Comissão Nacional de Residência Médica e Ministério da Educação.
– Reinauguração das novas instalações da Central de Quimioterapia Ambulatorial com a reformulação total do Serviço de Radioterapia.
– Criação do Centro de Reabilitação e Medicina Esportiva, atualmente, Centro de Reabilitação vinculado à Rede de Reabilitação “Lucy Montoro”.
–  Criação do Projeto Biblioteca Viva em Hospitais.

Laboratório de marcha do Centro de Reabilitação (CER)

Centro de Convenções de Ribeirão Preto

Prédio do HC Criança em primeiro plano. Ao fundo o Hospital das Clínicas

Início da Gestão do Prof. Dr. Milton Roberto Laprega em 01/03/2003, que foi concluída em 18/01/11

O Hospital elaborou um projeto para implantação da Unidade Secundária Santa Tereza, unidade de internação hospitalar e atendimento cirúrgico, que acabou dando origem ao Hospital Estadual de Ribeirão Preto, uma unidade, cujas obras foram iniciadas no segundo semestre de 2005 e inauguradas em 2008, gerenciada na modalidade de Organização Social de Saúde, por meio da FAEPA.

Há algum tempo, o Hospital vinha discutindo a necessidade de concentrar todo atendimento prestado à criança e ao adolescente em único espaço, harmonicamente integrado e humanizado, com pessoal especializado par a proporcionar um atendimento qualificado a esses pacientes. Assim, foi elaborado um projeto de construção de um edifício, com seis pavimentos, na área do antigo Almoxarifado, que concentrará o Centro de Reabilitação no pavimento térreo e o Centro de Cirurgia de Epilepsia, devidamente ampliado, no 6º. Andar. Os demais pavimentos, destinados às áreas altamente especializadas, próprias de um Hospital para atendimento terciário e quaternário, deram origem ao prédio do HC Criança, um Hospital com 233 leitos, que está previsto para abrigar enfermarias, Centro Obstétrico, Berçário, Alojamento conjunto, CTI’s Pediátrico e Neonatal, Centro de Cirurgia de Epilepsia e apoio acadêmico.

Recepção do HC Criança

Por meio de convênio assinado com o Ministério da Saúde, em julho de 2004, possibilitou a liberação de recursos para dar início à construção da área física do Centro de Reabilitação.

O Hospital recebeu a certificação como Hospital de Ensino, após auditoria realizada em novembro de 2004, que vem sendo renovada a cada dois anos. A certificação é resultado do programa de reestruturação dos Hospitais Universitários, que atendem pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Neste Programa, os HU’s devem dar prioridade à pesquisa e à assistência médica de alta complexidade e elaborar Planos Operativos, que informa, de forma sucinta as atividades desenvolvidas e as metas institucionais.

Na mesma época, foi realizado transplante inédito autólogo de células tronco para o tratamento da esclerose lateral amiotrófica, com grande repercussão no cenário nacional. Pela primeira vez, a doença neurológica que ocasiona, de maneira irreversível, a falência progressiva dos músculos, tem a expectativa de tratamento, sem a necessidade de que o transplante seja feito com a ajuda de doador.

Unidade de Pesquisa Clínica

Foi realizado o primeiro trans­plante de células-tronco da medula óssea no mundo para tratamento de Diabetes Mellitus tipo I.

A equipe de Urologia do Departamento de Cirurgia fez, em 2004, um transplante renal intervivos com retirada do rim direito do doador por videolaparoscopia – proce­dimento inédito no país.

Na parte administrativa, o Hospital implementa, em 2005, a Gerência Geral do Ambulatório – GGA, que institui uma visão moderna de administração por processos, abrangendo o Serviço de Arquivo Médico, o Serviço de Controle de Leitos e Pacientes, o Serviço Social Médico e Serviço de Portarias e de Enfermagem Ambulatorial.

Também é instituído o novo portal  www.hcrp.usp.br, mais atualizado, com informações mais detalhadas do funcionamento do Hospital para toda a comunidade.

Outro fato importante, foi a consolidação da Unidade de Pesquisa Clínica – UPC, que passou a integrar uma rede nacional de pesquisa clínica, entre outros hospitais vinculados às instituições de ensino do país, visando a disponibilização de infraestrutura básica para o desenvolvimento de todas as fases de ensaios clínicos de fármacos, procedimentos, equipamentos e dispositivos para diagnóstico.

Nutrição HC Campus

Em 2006, foram inauguradas as novas instalações do Banco de Leite e da Divisão de Nutrição e Dietética do HC Campus, tendo sido ampliada a Central de Quimioterapia, de forma a atender os padrões da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Também foi inaugurada a casa, no Campus Universitário, que passou abrigar o Centro Integrado de Estudos de Deformidades da Face – CIEDEF, o Centro de Respirador Bucal – CERB e o Centro de Pesquisa e Reabilitação em Audição e Equilíbrio – CPRA.

OUTROS REGISTROS DE DESTAQUE, NO PERÍODO 2003/2006

Equipe do 1º Implante Coclear

– Laboratório de Patologia Clínica conquista a certificação isso 9002/2000.
– Lançamento do Programa Hospital Amigo do Meio Ambiente – HAMA.
– Realização da 1ª. Cirurgia de Implante Coclear.
– Projeto Classe Hospitalar é premiado nacional e internacionalmente como iniciativa de Boa Prática pelo Programa para os Assentamentos Humanos, realizado pela ONU. Ainda, foi classificado entre os 20 finalistas do ciclo de premiação do Programa de Gestão Pública e Cidadania das Fundações Ford e Getúlio Vargas.
– Inauguração da Unidade de Transplante de Fígado.
– Realização de transplante duplo inédito de fígado e rim pela Equipe de Transplante de Fígado.
– 2006: Comemoração dos 50 anos com uma agenda de atividades, como o lançamento da nova logomarca do Hospital, visita do Governador e do Secretário de Estado da Saúde, lançamento de Revista Comemorativa e outros eventos realizados no decorrer do ano.
– Implantação da Pesquisa de satisfação dos pacientes internados e de ambulatório.
– Pioneirismo na realização, pela primeira vez, no Brasil, do Transplante Haploidêntico de medula óssea.

Central de Resíduos recebe cerca de 6 t. de resíduos por mês

Em 2007, o Hospital aderiu ao Programa Compromisso com a Qualidade Hospitalar – CQH, que tem por objetivo a melhoria contínua da qualidade do atendimento nos serviços de saúde, estimulando a participação e a auto-avaliação dos serviços, incentivando a mudança de atitudes, principalmente de grupos multidisciplinares, nos processos de atendimento. Também foi implantado o Programa Gestão à Vista que tem como objetivo a criação de indicadores de desempenho para o acompanhamento das atividades de todas as Unidades do Hospital, possibilitando o estabelecimento de um Plano de Metas institucional, que gera uma cultura de informação gerencial, que possibilita a melhoria contínua por meio da análise dos resultados.

No que se refere à Gestão Ambiental foi implantado novo sistema para tratamento dos efluentes de formol, com recursos do Governo do Estado, bem como foi criada uma Central de Resíduos de Serviço de Saúde, com depósitos de resíduos químicos, recicláveis e rejeitos radioativos, tendo o Hospital conquistado o prêmio “Hospital Amigo do Meio Ambiente”, nos anos de 2008 e 2009.

Quanto à gestão de pessoas foi implantado o Prêmio Incentivo – PIN para todos os servidores, que se constitui um valor financeiro estabelecido por categorias distintas, ou seja, básico, médio e universitário, pago mensalmente, pelo Hospital.

Na área de Gestão Hospitalar destacou-se a realização do primeiro Planejamento Estratégico para o período 2009/2011, com a definição da Missão, Visão e Valores:

Missão

Desenvolver e praticar Assistência, Ensino e Pesquisa em Saúde, por meio da busca permanente da excelência, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população.

Reunião para discussão do planejamento estratégico do HC.

Visão

Ser reconhecido nacional e internacionalmente como referência em atenção à saúde, geração do conhecimento, formação e capacitação profissional para a valorização da vida.

Valores

Ética, Humanismo, Responsabilidade Social, Pioneirismo e Inovação, Competência Pessoal, Comprometimento Institucional, Compromisso com a Qualidade.

Na área assistencial, um evento de destaque foi a inauguração do Centro de Reabilitação, vinculado à Rede de Reabilitação “Lucy Montoro” e do Hospital Estadual de Ribeirão Preto – HERP, que iniciou suas atividades administrado pelo Hospital das Clínicas com interveniência da FAEPA, com o objetivo de atender a demanda regional pela atenção à saúde, de média complexidade e servir de campo de ensino para a FMRP-USP. O Hospital Estadual atualmente é administrado pela FAEPA, na modalidade de Organização Social de Saúde.

Hospital Estadual de Ribeirão Preto

Por meio de pesquisa realizada pela Secretaria de Estado da Saúde, em 2008, com os usuários do SUS, mostrou que o Hospital das Clínicas foi o segundo melhor Hospital do Estado no Programa de Satisfação dos usuários do Sistema Único de Saúde e Monitoramento da Qualidade da Gestão de Serviços.

Em 2009 foi inaugurado o Centro Estadual de Referência à Saúde da Mulher – MATER e em 2010, o Hospital, com interveniência da FAEPA, assume o Hospital Estadual de Américo Brasiliense, que, junto com o Hospital Estadual de Ribeirão Preto, passaram a integrar o complexo hospitalar gerido pelo HCFMRP-USP/FAEPA.

Hospital Estadual de Américo Brasiliense – HEAB

 

Para a efetivação da hierarquização do atendimento de atenção primária e secundária não hospitalar, o HCFMRP- USP mantém convênio com a Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -USP para atuação no Centro de Saúde Escola “Joel Domingos Machado” e no Centro Médico Social Comunitário de Vila Lobato.

Ainda, o Hospital conquista o Selo de Conformidade do Programa Compromisso com a Qualidade Hospitalar – CQH.

Em 2009, o Serviço de Gerenciamento da Qualidade dos Laboratórios, dando suporte às atividades do projeto de pesquisa do NIH – National Institutes of Health (USA), passou a atender as diretrizes da Divisão de AIDS do National Institute of Allergy and Infectious Disease, coordenada pelo Núcleo de Estudos de Infecção Materno Infantil. Desde então, as auditoriais do NIH têm sido anuais.

Centro de Endoscopia

Outro evento de destaque em 2009, foi a qualificação do Hospital Estadual de Ribeirão Preto como melhor Hospital do Estado de São Paulo, pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio de avaliação feita pelos usuários do SUS.

Em 2010, o Centro de Endoscopia inaugurou novas e modernas instalações, com 04 salas para endoscopia terapêutica, 02 salas para endoscopia diagnóstica, sala específica para exames radiológicos e infraestrutura necessária que permitiu a duplicação da capacidade de atendimento dos pacientes.

Também é realizada a primeira Cirurgia Bariátrica por Laparoscopia e o primeiro Transplante de Fígado em criança.

OUTROS REGISTROS DE DESTAQUE NO PERÍODO 2007/2010

Capa da Revista Qualidade de 2012

– Implantação do Projeto Paciente cidadão, onde é feito um esclarecimento à população usuária não residente em Ribeirão Preto, sobre os direitos preconizados pelo TDF – tratamento fora de domicílio, conforme Portaria 55/99 do Ministério da Saúde.
– Implantação da Pesquisa de Clima Organizacional.
– Inauguração do Banco de Células Tronco de Cordão Umbilical junto ao Hemocentro.
– Introdução de Procedimentos Inéditos no Serviço de Radioterapia, com a aquisição de novos equipamentos.
– Inauguração das instalações reformadas da Divisão de Nutrição e Dietética.
– Hospital recebe a premiação “Menção Honrosa” pelas melhores práticas de gestão, com o tema “Sistema de Referência e Agendamento de Consultas via Internet em um Hospital de Ensino Público”.
– Implantação da Divisão de Hotelaria Hospitalar, em substituição à Divisão de Atividades Complementares.
– Entra em funcionamento o novo equipamento de ressonância nuclear magnética de 3t, adquirido com recursos da FAPESP.
– HC e CPFL assinam Termo de Compromisso de prestação de serviços de eficientização energética, que possibilitou a doação e instalação de, cerca de 5000 novos conjuntos de luminárias, objetivando a redução do consumo de energia.
– Entra em desenvolvimento o Prontuário Eletrônico do Paciente – PEP pelo Centro de Informações e Análises – CIA.
– Lançamento da Revista Qualidade HC.
– Inauguração do Restaurante do Centro de Vivência.
– Realizado o primeiro transplante de medula óssea não aparentado de células tronco.
– Inaugurado o Serviço de Reabilitação Visual no CER.
– Inauguração da Unidade Coronariana na Unidade de Emergência.
– Hospital conquista o 1º. Lugar na captação de múltiplos órgãos no Estado de São Paulo.
– Implantação da nova Intranet.
– Implantação da Pesquisa de Satisfação do Usuário no ambulatório.

Imagem da área administrativa do Banco de Tecidos

Início da gestão do Prof. Dr. Marcos Felipe Silva de Sá em 19/1/2011 que perdurou até 10/3/15

Em 2011 foi inaugurado o Núcleo de Telessaúde- NUTES, que tem como objetivo a atenção à saúde, propiciando a capacitação profissional e trazendo melhorias ao atendimento dos pacientes, em situações em que a distância é um limitador para o ensino. Assim, o Hospital passou a integrar oficialmente a Rede Universitária de Telemedicina – RUTE, que se constitui um projeto do Ministério da Ciência e Tecnologia, que tem como objetivo principal a formação profissional à distância.

Em junho de 2011 foi inaugurada uma Enfermaria no Campus para tratamento em Oncologia Clínica, com equipe médica e de enfermagem especializadas.

Programa Hospital Amigo do Meio Ambiente

O Hospital inaugurou, em julho, na Unidade de Emergência, o Banco de Tecidos Humanos, o sétimo do Brasil em tecido osteomuscular e o terceiro, de pele. O Banco foi planejado para atender a deficiência na obtenção de tecidos músculo-esqueléticos e para suprir importante lacuna nos procedimentos médicos de alta complexidade no Hospital, que atende as regiões de Ribeirão Preto, Araraquara, Franca, Barretos e São João da Boa Vista.

O Hospital recebeu o prêmio denominado “Amigo do Meio Ambiente 2011, concedido pela Secretaria de Estado da Saúde, com o trabalho intitulado “Gerenciamento Ambiental, 10 anos Cuidando do Meio Ambiente e das Pessoas”.

Também foi concedido ao Hospital das Clínicas, a certificação OURO em Eletrocirurgia Segura, ao Bloco Cirúrgico do HC Campus e da Unidade de Emergência. Esta certificação faz parte do programa “Soluções Integradas para a Saúde”, para certificar instituições de saúde, que mantém práticas e procedimentos hospitalares, conforme orientação dos guias nacionais e internacionais de boas práticas.

Imagem da campanha de divulgação do plano de expansão do Hospital das Clínicas

Ainda, a Maternidade do Hospital das Clínicas, que é referência por ter como foco o acompanhamento gestacional de alto risco, foi a segunda melhor avaliada no Estado de São Paulo, em 2011, segundo opinião dos usuários do Sistema Único de Saúde – SUS.

Em 2012, o Hospital recebeu a visita do CQH – Compromisso com a Qualidade Hospitalar, onde atingiu, de um total de 100 pontos, a pontuação de 95,51%, o que culminou com a manutenção do Selo de Conformidade.

Atendendo a legislação que trata do Acesso à Informação (lei 12.527/11), o Hospital disponibilizou o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC, que permite que qualquer cidadão possa obter dados acerca das atividades do órgão público, seja de interesse público ou particular.

Um fato de destaque foi o início da execução de um Plano de Expansão das Atividades Assistenciais, para os próximos anos, quando o Hospital obteve recursos do Governo do Estado, após projeto apresentado na Secretaria de Estado da Saúde, dentro do Programa de Modernização dos Hospitais de Ensino, na ordem de R$ 107.601.612,00 (Cento e Sete Milhões, Seiscentos e Um Mil e Seiscentos e Dozes reais) para o triênio 2012/2014, para término do HC Criança, realização de obras e aquisição de equipamentos, com o objetivo estratégico de fortalecer a missão hospitalar, especialmente na organização dos atendimentos de alta complexidade, de acordo com a hierarquização do SUS.

Termo de Consentimento

Dentre os projetos aprovados, destacamos o reinício da obra do HC Criança, que estava parada há alguns anos, com a ampliação do Centro de Reabilitação e inclusão do Ambulatório de Ortopedia, novas áreas para a Unidade Coronariana no Campus e na UE, Centro de Transplantes de Órgãos, Unidade de Terapia Intensiva Pós Operatória, implantação do Centro de Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia, expansão da Unidade de Diálise, ampliação do Centro de Ciências da Imagem e Física Médica para abrigar novos equipamentos, implantação da Unidade Vascular na Unidade de Emergência e finalmente, ampliação do Centro de Terapia Intensiva para 40 leitos.

É importante registrar que para viabilizar o funcionamento do HC Criança e a expansão das atividades do HC Campus e da Unidade de Emergência, o Governo do Estado, através da edição da Lei Complementar 1253, de 04/9/14, autorizou a ampliação do quadro de pessoal em 1.562 funções, passando o Hospital a contar com um quadro de pessoal previsto de 6.672 funções.

Número de cirurgias realizadas no Hospital das Clínicas

Outro fato importante para as atividades assistenciais foi a implantação do projeto-piloto da Farmácia Clínica nas Unidades de Enfermaria do 4º andar e de atendimento farmacêutico no Ambulatório de Moléstias Infecciosas da Unidade Especial de Terapia de Doenças Infecciosas – UETDI, além da Unidade de Emergência.

Na área assistencial, o Hospital, em cumprimento ao estabelecido no Código de Ética Médica, estabeleceu a obrigatoriedade do preenchimento do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), precedendo a realização de qualquer procedimento cirúrgico ou invasivo e também, na internação hospitalar para tratamento clínico ou investigação do diagnóstico. O objetivo maior é assegurar o direito à autonomia do paciente em aceitar ou não determinado procedimento médico, após ser esclarecido dos potenciais riscos e complicações, bem como dos benefícios.

Ainda, seguindo diretriz da Organização Mundial de Saúde – OMS, o Hospital implantou em 2012, o protocolo de Cirurgia Segura, que engloba todo um processo que começa no momento da admissão do paciente cirúrgico, passa pelo esclarecimento do paciente quanto ao procedimento, pela assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, pela visita pré-operatória e todo um check-list, que termina no momento da alta, quando as orientações adequadas são imprescindíveis para uma recuperação bem sucedida.

Equipe do Banco de Leite Humano do HC

Deve ser destacada a implantação do Centro de Medicina Genômica, que passou a disponibilizar novas tecnologias genômicas para a assistência e para o desenvolvimento de pesquisas, com base na análise de genoma, cuja estrutura oferece suporte para docentes, pesquisadores e treinamento em biologia molecular para técnicos, estudantes e médicos residentes, além de oferecer o diagnóstico, inclusive de doenças raras.

Considerando a necessidade de melhorar o desempenho do Bloco Cirúrgico, o Hospital adotou várias ações simultâneas, que mudou, de forma significativa, a gestão da área, com a contratação de um Coordenador Médico, médicos anestesistas em período integral, revisão do Regimento Interno, implantação de um sistema informatizado, que além de monitorar as salas cirúrgicas, permite monitorar custos e elaborar relatórios com maior precisão. Também controla todo o processo de trabalho, a partir da inclusão do paciente na lista de cirurgia e agendamentos, que podem ser feitos pelos médicos-cirurgiões, em qualquer computador do Hospital. Com isso, foi implantado, também, o Ambulatório Pré-Anestésico, no Ambulatório Geral, com a finalidade de se fazer a avaliação pré cirúrgica dos pacientes encaminhados para procedimentos cirúrgicos realizados no Bloco Cirúrgico, com o objetivo de se evitar internações desnecessárias para o preparo do paciente, bem como foi inaugurada a Unidade de Terapia Intensiva Pós – Operatória, anexa ao Centro de Recuperação, para pacientes submetidos à cirurgias de alta complexidade, que requeiram cuidados intensivos.

Código de Ética Organizacional distribuido aos funcionários

A desospitalização do paciente crônico, com alta dependência, mas que deixaram de ser considerados como alta complexidade, constitui-se um trabalho de sucesso implantado pela Equipe da Unidade de Emergência.

Uma parceria da U.E. com o Departamento Regional de Saúde XIII e o Município de Ribeirão Preto, viabilizou a transferência de pacientes crônicos internados na U.E. para as Santas Casas de São Simão, Guariba e Altinópolis.

Como resultado imediato, estas transferências fizeram com que o número de pacientes internados na enfermaria de Neurologia da U.E. tivessem um acréscimo de 100% e a UTI adulto um aumento, na sua rotatividade, em torno de 25%, em comparação a sua série histórica de ocupação.

É importante registrar que a Unidade de Emergência faz o acompanhamento dos pacientes que foram enviados às Santas Casas, inclusive com a responsabilidade de porta aberta naquela Unidade, em caso de intercorrências. Além do número de pacientes crônicos ter diminuído na Sala de Urgência, este projeto propiciou maior qualidade técnica no atendimento e na humanização para os pacientes e os familiares.

O Banco de Leite Humano do HCFMRP-USP recebeu a denominação de Banco de Leite Humano “Anália Ribeiro Heck”, em homenagem a Sra. Anália, funcionária aposentada do Hospital que, durante muitos anos, na qualidade de Coordenadora do Banco de Leite, realizou um trabalho incansável de incentivo, apoio e proteção ao Aleitamento Materno, atuando nas atividades de assistência preventiva e curativa das intercorrências mamárias da fase lactacional. O Banco de Leite Humano, recebeu, em 2013, um certificado de excelência “Categoria Ouro”, por iniciativa resultante de Convênio com a área da Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, pelo seu relevante desempenho.

Em 2013 foi oficializado o Conselho Gestor de Atenção Nutricional – COGEAN, que tem a função de proporcionar maior integração entre o Curso de Nutrição e Metabolismo da FMRP-USP e a Divisão de Nutrição e Dietética do Hospital, de forma a promover a assistência nutricional integrada com resultados positivos aos pacientes.

Uma pesquisa realizada no HCFMRP-USP sobre o uso de células tronco para tratamento de diabéticos foi premiada na edição de 2014 do Prêmio L’Oreal Mulheres na Ciência, realizada pela equipe médica e de enfermagem do Serviço de Transplante de Medula Óssea.

Nas ações de ensino, o destaque é para a instituição do Curso de Mestrado Profissional em Gestão de Organizações de Saúde da USP, pelo Hospital e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, em parceria com a Faculdade de Economia, Contabilidade e Administração de Ribeirão Preto – FEARP. O curso tem como objetivo formar e capacitar profissionais qualificados para o exercício da prática profissional avançada, visando melhorar a eficiência e eficácia das organizações públicas e privadas.

Na área de gestão de pessoas, o Hospital instituiu o Código de Ética Organizacional, com a pretensão de nortear a conduta e o comportamento dos funcionários e de todos que se relacionam com a Instituição, de maneira a garantir uma boa convivência social e profissional no exercício de sua Missão e Visão.

O Centro de Recursos Humanos criou o Boletim Informativo de Elogios, como forma de incentivar os funcionários e aumentar a sinergia, trazendo melhoria no ambiente de trabalho.

Foi criado, também, o Grupo de Reeducação Alimentar, com o objetivo de melhorar a qualidade da alimentação dos funcionários e promover mudanças para hábitos mais saudáveis e prevenção de doenças relacionadas ao sedentarismo.

Foi instituído, também, o Serviço de Atendimento Especializado de Saúde aos Funcionários – SAESF, que se constitui num programa de especialidades médicas que se destina ao atendimento eletivo de funcionários, por médicos, na Unidade de Atendimento de pacientes Conveniados, que vem trazendo muita agilidade no atendimento de saúde dos funcionários, com reflexos positivos quanto ao retorno rápido ao trabalho, devidamente curado.

Várias adequações foram efetuadas na Estrutura Organizacional do Hospital para racionalizar as atividades e melhorar o desempenho, especialmente no que se refere ao desmembramento do antigo CECIN, que concentrava as atribuições da Divisão de Engenharia e do Centro de Engenharia Clínica – CEC, passando essas duas unidades a atuar de forma independente, porém inter-relacionadas, de acordo com a necessidade do serviço.

A Procuradoria Jurídica que trabalhava muito sobrecarregada, passou a integrar a Procuradoria Geral do Estado e recebeu mais três Procuradores de Estado, um dos quais Chefe da Consultoria Jurídica, o que se constituiu um avanço para a melhoria do suporte jurídico prestado às áreas do Hospital, melhorando qualitativa e quantitativamente, os trabalhos desenvolvidos.

OUTROS FATOS DE DESTAQUE NO PERÍODO 2011/2014:

Imagem do novo estacionamento com quase 800 vagas para ônibus, vans e veículos particulares

– Realização do Planejamento Estratégico com estabelecimento do plano de metas para o período 2011/2014.
– Construção do novo estacionamento – Estacionamento Geral.
– Construção da área de apoio aos pacientes junto à Guarita IV (com banheiros, lanchonete e área de descanso) e sistema viário.
– Inauguração da sede do SEAVIDAS – Serviço de Atendimento à Violência Doméstica e Agressão Sexual.
– Inauguração da Enfermaria com 08 leitos para tratamento em Oncologia Clínica.
– Início do funcionamento de postos de coleta de material para exames laboratoriaIS, no Centro de Saúde Escola e na Unidade de Emergência e nos municípios de Batatais e Serrana.
– Reorganização da Assessoria de Imprensa, atualmente denominada de Assessoria de Comunicação, com a contratação de mais um jornalista.

Serviço de Arquivo Médico

– Realização da Pesquisa de Clima Organizacional.
– Reforma da área da Medicina Nuclear para a instalação do aparelho SPECT-CT.
– Construção dos depósitos de resíduos recicláveis e resíduos químicos.
– Perfuração de um poço tubular profundo.
– Reforma da área para as novas instalações do Serviço de Arquivo Médico.
– Construção da área de apoio aos pacientes junto à Guarita IV (com banheiros, lanchonete e área de descanso) e sistema viário.
– Inauguração da sede do SEAVIDAS – Serviço de Atendimento à violência doméstica e agressão sexual.
– Inauguração da Enfermaria com 08 leitos para tratamento em Oncologia Clínica.
– Início do funcionamento de postos de coleta de material para exames laboratorial, no Centro de Saúde Escola e na Unidade de Emergência e nos municípios de Batatais e Serrana.
– Reorganização da Assessoria de Imprensa, atualmente denominada de Assessoria de Comunicação, com a contratação de mais um jornalista.

Projeto Beira leito

– Reinício do funcionamento do Centro de Preparo de Nutrição Parenteral.
– Lançamento do livro “Protocolos Clínicos e de Regulação: Acesso à Rede de Saúde”, sob a coordenação do Prof. Dr. José Sebastião dos Santos, Docente do Departamento de Cirurgia e Anatomia da FMRPUSP.
– Instituição da Comissão de Ética em Enfermagem.
– Adesão ao Programa de Melhoria do Gasto Público – Desperdício Zero instituído pelo Governo do Estado.
– Constituição de um Grupo de Treinamento e Desenvolvimento, com profissionais especializados, integrando todas as áreas de T&D.

Consultório dentário do HC

– Reforma da enfermaria de Psiquiatria na Unidade de Emergência.
– Divulgação do Manual Prático de Diálise Peritoneal organizado por médicos e enfermeiros do Hospital.
– Realização de cirurgias de implante coclear binaural.
– Criada a Unidade de Pesquisa Clínica na Unidade de Emergência.
– O Hospital, que faz parte da Rede Sentinela do Ministério da Saúde, por meio do Gerenciamento de Risco, recebeu da ANVISA a classificação A, pontuação máxima, como resultado da análise do monitoramento da Rede Sentinela no segundo semestre de 2013.
– Construção de um estacionamento com 800 vagas para carros, ônibus e ambulâncias, com cantina, sanitários, área de lazer para pacientes e acompanhantes.

– Reforma do 9º. e 10º pavimentos para instalação do Centro de Transplantes de Órgãos.
– Ampliação do Serviço de Odontologia Hospitalar.
– Restauração da fachada da Unidade de Emergência.
– Criação do Grupo de Feridas que, por meio do atendimento multiprofissional, multidisciplinar e integrado atende pacientes internados, portadores de feridas, fazendo um trabalho humanizado, preventivo e curativo.

Equipe do Grupo de Feridas

– Inauguração das novas instalações ambulatoriais da Unidade de Pesquisa Clínica.
– O Hospital Estadual de Américo Brasiliense – HEAB foi vencedor da 4ª. Edição do Prêmio Melhores Hospitais do Estado, na categoria internação humanizada, pela pesquisa realizada pela Secretaria de Estado da Saúde, de acordo com opinião dos pacientes usuários do SUS.
– Além do HEAB, mais duas unidades administradas pela FAEPA, também, foram premiadas: A farmácia de medicamentos excepcionais de Franca e o Hospital Estadual de Ribeirão Preto – HERP. O Hospital Estadual foi premiado na categoria internação humanizada e a Farmácia MEDEX em 1º. Lugar na categoria Farmácia de Alto Custo.
– A pesquisa desenvolvida no HCFMRP-USP conquistou o primeiro lugar na 14ª. Mostra Nacional de Experiências Bem Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (14ª. Expoepi), que acontece, anualmente, em Brasília. O trabalho apresentado foi “Gestão do Cuidado em HIV/AIDS: resultado do impacto da atuação do farmacêutico clínico na adesão à terapia antirretroviral”, desenvolvido na Unidade Especial de Tratamento de Doenças Infecciosas – UETDI.

Equipe de trabalho durante encontro que discutiu o planejamento estratégico do Hospital

Início da gestão do Prof. Dr. Benedito Carlos Maciel, como Superintendente: 11/3/15

Em maio de 2015 teve início o atendimento ambulatorial nas novas instalações do HC Criança, que visa o atendimento integral e acolhimento adequado às crianças e adolescentes. Para lá foram transferidos os ambulatórios pediátricos de especialidades clínicas e cirúrgicas. O Centro de Reabilitação – CER iniciou as atividades nas novas instalações, em junho de 2015, no 1º andar no prédio do HC Criança que foi reformado e adequado para reabilitação de pacientes de alta complexidade e atendimento de pacientes ortopédicos.

A construção do Planejamento Estratégico de 2015/2018 foi realizada em diversos eventos e reuniões de trabalho, tais como:

  • Simpósio de Gestão Hospitalar Estratégica teve como objetivo sensibilizar os servidores do Hospital sobre a importância do Planejamento Estratégico e apresentar experiências de sucesso de hospitais que já trabalham há algum tempo com essa metodologia. Além disso nele foram também apresentados os resultados do fechamento das ações do Planejamento Estratégico 2011-2014. O evento foi aberto à participação de toda comunidade hospitalar.
  • Oficina de trabalho para análise de ambientes interno e externo com participação de convidados específicos, representantes de serviços do Hospital e da FMRP-USP. Para determinar as oportunidades de melhorias e ameaças do ambiente externo e os pontos fortes e fracos do ambiente interno, os participantes foram subdivididos em grupos de trabalhos.
  • Apresentação dos resultados, em evento aberto à participação da comunidade hospitalar.
  • Definição dos Objetivos Estratégicos em nova oficina de trabalho com participação dos mesmos convidados da oficina anterior, que foram: membros do Conselho Deliberativo, diretores e coordenadores de área do HCFMRP-USP, associações representativas de funcionários e residentes do HCFMRP-USP, representantes dos Departamentos Clínicos, das Comissões de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa, de Cursos e alunos da FMRP-USP.
  • Reuniões de trabalho coordenadas pela equipe da Assessoria Técnica com os responsáveis das áreas para detalhamento dos objetivos e os planos de ação para seu atingimento. Estes planos de ação foram detalhados no formulário elaborado utilizando a metodologia do 5W2H.

O produto deste trabalho foi submetido à Superintendência e Conselho Deliberativo para análise, priorização e aprovação do portfólio de Objetivos Estratégicos.

Rede Sentinela Anvisa

Na área de gestão de pessoas foi criada em fevereiro de 2015 uma comissão para avaliar as condições de saúde dos trabalhadores com 65 anos ou mais. Cabe ao Centro de Recursos Humanos acompanhar a evolução da faixa etária dos trabalhadores e encaminhar ao Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho – SESMT, para realização dos exames periódicos uma vez por ano.

Em agosto de 2015, a Instituição recebeu da ANVISA o resultado da análise do monitoramento da Rede Sentinela referente ao ano de 2014 e pelo segundo ano consecutivo o hospital recebeu uma das melhores notas em Gestão de Risco e Segurança do Paciente entre as 215 instituições hospitalares que participam da Rede Sentinela. A avaliação categorizou as Instituições em A, B ou C de acordo com a pontuação. O Hospital das Clínicas foi classificado na categoria A com 36,61 dos 37 pontos.

O Banco de Tecido Humano e de Ossos do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto fez seu primeiro transplante. No ambulatório de quadril do HC, tem uma fila de pacientes à espera de um transplante de ossos, a maioria formada por pessoas que tiveram câncer ósseo e precisam do material para trocar próteses devido a desgaste.

PRÊMIOS DE DESTAQUE

Equipe do CTI

Prêmio para o CTI Campus

A Equipe de enfermagem do CTI Campus recebeu da divisão médico-hospitalar da 3 M do Brasil, a Certificação Diamante Prime em Prevenção de Lesões de Pele. O Programa 3M de Certificação em Prevenção de Lesão de Pele criado há 8 anos visa auxiliar as instituições a melhorarem suas práticas assistenciais. As Unidades do CTI Campus e Unidade de Emergência são as únicas de Instituição Pública a serem certificadas na categoria.

Banco de Leite do HC recebe certificado “Categoria Ouro”

Excelência em Banco de Leite Humano

O Banco de Leite Humano “Enfermeira Anália Ribeiro Heck” recebeu certificado de excelência em Bancos de Leite Humano “Categoria Ouro” por seu desempenho no ano de 2014, o nível mais elevado de qualidade em assistência. O título foi concedido pelo Programa de credenciamento de Bancos de Leite Humano, desenvolvido Área Técnica da Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz. O programa de Credenciamento de Bancos de Leite Humano é uma ação estruturante e reguladora para garantir o funcionamento das unidades dentro dos padrões de qualidade já normatizados pela Rede BLH-Br. O Banco de Leite Humano do Hospital das Clínicas é Centro de Referência para o Interior de São Paulo.

Certificação da Sala de Apoio à Amamentação

A sala de apoio à amamentação do Banco de Leite Humano do Hospital das Clínicas recebeu a certificação pela Organização Mundial da Saúde por promover, proteger e apoiar a mulher trabalhadora que amamenta. Esta sala de apoio é para as mães que voltaram da licença gestante e continuam amamentando. Nesta sala as mães amamentam seus bebês e ainda fazem a coleta do leite e armazena para que, no fim de sua jornada de trabalho, possam levar o alimento para o seu bebê.

Hospital Estadual de Américo Brasiliense recebe Acreditação

O HEAB conquistou o selo de Qualidade da Organização Nacional de Acreditação – ONA. O processo de acreditação hospitalar iniciou em 2012 com o desafio de modificar a cultura de trabalho de todo o hospital, mantendo sempre o foco na segurança do usuário. Neste período, diversos processos foram implantados e aperfeiçoados, como, Identificação Correta do Paciente, Segurança nos Procedimentos Cirúrgicos, Higienização das Mãos para Prevenção de Infecções, Prevenção de Quedas, Segurança na Cadeia Medicamentosa e Prevenção de Úlcera por Pressão.

Hospital Amigo do Meio Ambiente

O Hospital recebeu pela 5ª vez o prêmio “Amigo do Meio Ambiente”, na categoria destaque pelo descarte correto, seguro e eficaz dos medicamentos, junto ao Projeto Hospitais Saudáveis (PHS).

Certificado Hospital Amigo do Idoso

Hospital Amigo do Idoso

O Hospital foi certificado com Selo Inicial “Hospital Amigo do Idoso”, por ter cumprido as ações obrigatórias de acordo com as diretrizes do Programa.

Organização à Procura de Órgãos – OPO

O Hospital das Clínicas obteve o melhor resultado no Estado de São Paulo, como menor índice de recusa familiar de doação de órgãos, com cerca de 26,0% entre as cidades do Estado, enquanto a média estadual foi cerca de 46,6%. Este resultado foi graças a campanha permanente de incentivo à doação de órgãos realizada pela OPO, com cursos de capacitação de funcionários e palestras realizadas em escolas, igrejas, hospitais e empresas.

Serviço de Gerenciamento de Risco recebe melhor pontuação da ANVISA

Neste ano de 2016, em que o Hospital das Clínicas completa 60 anos, muitas obras importantes, como o HC Criança, a Unidade de Diálise, o Centro de Otorrinolaringologia, Fonoaudiologia e Cabeça e Pescoço, além de outras igualmente importantes, deverão estar concluídas e serão colocadas à disposição da população, que vão melhorar a qualidade do atendimento e a modernização da infraestrutura do Hospital para atender à demanda de alta complexidade.

Leitos operacionais HCFMRP-USP

Portanto, a história do Hospital não termina aqui. Compete ao Prof. Dr. Benedito Carlos Maciel, atual Superintendente,escrever mais um capítulo dessa intensa jornada, que se constitui o dia a dia de um hospital público universitário, referência terciária e quaternária no sistema público de saúde, que passará a contar, nos próximos anos, com 1074 leitos.

O Hospital das Clínicas da FMRPUSP atualmente destaca-se pela consolidação de seus valores de excelência, pela vanguarda no desenvolvimento de tecnologia de ponta, na área da Saúde e principal­mente, pelo trabalho humanizado que vem realizando junto aos pacientes, que caracteriza a qualidade dos serviços prestados em prol da população de Ribeirão Preto e Região.